n PABS: "Doutor? Que Doutor?"

segunda-feira, 30 de janeiro de 2012

"Doutor? Que Doutor?"






     Se você é fã de scifi já deve ter pelo menos ouvido falar de Doctor Who (a série está no livro do Guinnes como "a mais longa série de ficção científica do mundo")... Se não, aqui está a sua oportunidade de começar!...






     Doctor Who é uma série de tv britânica que estreiou em 1963 pela BBC, onde foi transmitida sem interrupções até 1989, tendo mais de 150 arcos (histórias que se estendem por mais de um capítulo). 

     Originalmente, a BBC queria fazer de Doctor Who um programa de conteúdo meramente educativo com algumas pitadas de ficção científica. A emissora queria um programa “família” para a sua programação vespertina aos sábados, para capturar justamente a audiência juvenil. A idéia era passar noções de História para a molecada e, ao mesmo tempo, fazer um programa que fosse atraente para o restante do público. Por essa razão as primeiras aventuras do Doutor Who giravam em torno de episódios verídicos da História, como o Império Romano ou a Revolução Francesa.


     Bom, mas por que assistir Doctor Who?
  • Por ser a série de ficção mais bem sucedida na história da TV, sendo tão vasta que muitos dizem que supera até mesmo Jornada nas Estrelas;
  • Por que é uma série onde o roteirista assina na abertura do capítulo, sendo desde os anos 60 uma série muito mais baseada em roteiros do que em efeitos especiais (que sempre foram bem mais fracos se comparados com as séries americanas de ficção), em resumo: são boas histórias, com boas atuações e tudo muito bem amarrado;
  • Como nomes famosos de roteiristas, temos Neil Gaiman (autor de Sandman); Douglas Adams (Guia do mochileiro das Galáxias), que aliás consta que o terceiro livro da série do mochileiro (A vida, o Universo e tudo Mais) era originalmente um capítulo de Doctor Who que não foi ao ar e virou o livro que todo nerd se não leu, deveria ler, fora o pessoal de Monty Phyton, que também fez aparições na série; Steven Mofatt, que entre outras coisas, foi noticiado ser o escolhido por Steven Spielberg para fazer o roteiro do filme de Tintim.
  • Existem citações dela em diversos seriados, como Os Simpsons, Futurama, The Big Bang Teory, Family Guy, American Dad, Star Trek, e conta-se que a inspiração original do DeLorean, dos filmes De Volta para o Futuro, foi a TARDIS.




O Doutor (The Doctor)
     O personagem do Doctor está sempre envolto em mistério. No início da série, apenas se sabia que ele era um extraterrestre viajante e excêntrico, com um grande conhecimento sobre as mais variadas matérias, que combatia as injustiças que encontrava ao explorar o Universo na sua nave espacial TARDIS. TARDIS é uma abreviatura para Time And Relative Dimensions In Space (Tempo e Dimensões Relativas No Espaço). A TARDIS é maior por dentro do que por fora, e, devido a uma avaria permanente num circuito, a sua aparência exterior assemelha-se à de uma cabine da polícia londrina dos anos 60. Eventualmente descobre-se que a figura sinistra e misteriosa do "Doctor" é uma espécie de renegado da sua própria espécie, os "Time Lords" ("Senhores do Tempo"), oriundos do planeta "Gallifrey" na constelação de Kasterborous.

     Logicamente, para uma série que durou tanto tempo no ar em sua primeira versão, era preciso criar um artifício para o rejuvenescimento do Doutor. A equipe de roteiristas da série, ao invés de complicar, apenas optou por dar ao doutor a capacidade de se regenerar, o que, claro, tornou mais fácil o personagem ser vivido por diferentes atores ao longo desses quase cinquenta anos. 

     Com o sucesso da série, foram feitos dois longas metragens com o Doutor: Doctor Who e os Daleks (1965) e Daleks – Invasão da Terra 2150 AD (1966). Nos dois filmes, porém, o papel de Doutor Who ficou a cargo de Peter Cushing (sim! O nosso Grand Moff Tarkin!). Apesar de ambos contarem com um orçamento um pouco maior que o da série, não chegaram a ser um trampolim para o cinema, sendo exibidos exclusivamente na TV, como “episódios especiais” da série. 

     Com o passar dos anos, a série foi ganhando novos contornos e, aos poucos, perdeu seu caráter exclusivamente educacional para se tornar uma série de ficção com sua própria mitologia, mas sempre mantendo o humor em seus roteiros e também a idéia de o Doutor sempre estar acompanhado por parceiros em suas viagens temporais, geralmente uma assistente. O próprio Doutor foi mudando em conseqüência da troca de atores que o personagem sofreu. Sua idade foi variando ao longo da série mas “estacionou” em torno dos 40 e 45 anos. Estranho que o fato de o Doutor Who ter sido interpretado exatamente por dez atores diferentes, desde o surgimento do personagem, não tenha prejudicado a popularidade da série. Talvez isso seja explicado pela capacidade da série se sustentar basicamente na qualidade de seus roteiros e não ficar tão dependente de seu personagem central.

     A série foi exibida durante o período de 1963 até 1989, suspensa até 1996, e relançada com grande sucesso em 2005, desta vez produzida na Inglaterra pela BBC. Doctor Who tem também múltiplos spin-offs (Torchwood e The Sarah Jane Adventures) e presença noutros formatos que não o televisivo (livros, áudio, etc).

     Nesta sua ultima versão, a série Doctor Who retorna com uma roupagem mais moderna mas sem perder suas características mais básicas: o humor e o bom nível das histórias. Ela é uma das atrações bem sucedidas do SCI FI Channel, com uma boa produção e efeitos visuais atraentes que ajudam a realçar a imaginação dos roteiristas da série, que colocam o Doutor (Christopher Eccleston na primeira temporada, David Tennant e atualmente Matt Smith) e suas parceiras nas situações mais estapafúrdias, sempre com ótimas tramas de FC.


     Se você vai começar a ver a série agora, pode começar a partir de dois pontos na série: literalmente do começo, ou seja, 1ª temporada, onde além de ter histórias fantásticas, toda a mitologia da série fica mais clara, ou a partir da 5ª Temporada, único ponto desde a 1ª temporada onde você não terá problemas com continuidade de histórias e personagens.

2 comentários:

  1. "Victor, a série está melhorando..."
    Rss!
    De tanto que meu amigo fala deste Dc. Who, estou começando a interessar em assistir.

    P.S.: Parabéns pelo novo Blog.
    Até mais!

    ResponderExcluir
  2. Eu ainda não assisti... shame on me!

    ResponderExcluir

Gostou do post? Agora participe do tema!
Deixe o seu comentário!

Mas leve em conta que:

1 - A administração se reserva ao direito de deletar comentários anônimos, ofensivos, em CAIXA-ALTA, spam e assuntos fora do tema.
2 - Nome e email são obrigatórios.
3 - Os autores deste blog não se responsabilizam por opiniões emitidas nos comentários. Essas opiniões não refletem as dos autores do blog.